top of page

Paraná assina acordo com Taguspark para replicar “cidade do conhecimento” em Curitiba


Foto: divulgação

Uma iniciativa do Governo do Paraná prevê a instalação de um espaço voltado exclusivamente a empresas do setor de tecnologia e inovação na capital, Curitiba. A proposta é replicar um modelo adotado pelo Taguspark, o maior parque de ciência e tecnologia de Portugal. O memorando de entendimento foi assinado nesta segunda-feira (15) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e Eduardo Corrêa, CEO da instituição portuguesa que administra a estrutura, sediada na cidade de Oeiras, região metropolitana de Lisboa.


Criado há 30 anos, o Taguspark é um bairro planejado para o futuro e que abriga 160 empresas e 26 startups, além de 16 mil pessoas. No centro, mais de 90% das empresas nacionais e internacionais instaladas são focadas no desenvolvimento de tecnologias aplicadas para soluções nas áreas da saúde, Tecnologia da Informação (TI) e engenharia, entre outras. Como parte da parceria, o parque ofereceu um espaço para o Governo do Paraná prospectarem novas parcerias dentro de sua estrutura.


“O Taguspark é uma referência mundial na combinação de inovação e sustentabilidade e Portugal está muito à frente de diversos países em termos de tecnologia, por isso queremos trocar experiências e importar este conhecimento para o nosso Estado”, afirmou Ratinho Junior.


Segundo o governador, o Paraná tem investido no fomento à indústria tecnológica, mas o objetivo é buscar experiências de sucesso no Brasil e no mundo para ampliar esse potencial no Estado. Ele lembrou a criação da Superintendência de Inovação, Modernização e Transformação Digital, em 2019, que em 2023 foi elevada à condição de Secretaria de Estado. Em abril deste ano, o Estado também assinou os decretos de regulamentação da Lei de Inovação do Paraná e do Fundo de Inovação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (FIME/PR).


“Temos trabalhado muito a vocação do Paraná para a inovação, com 14 centros tecnológicos que unem o setor privado, a academia e a sociedade civil em funcionamento, mas queremos avançar ainda mais e aprender com experiências como a de Portugal nos ajuda neste objetivo”, acrescentou o governador.


De acordo com o CEO da Taguspark, a instituição busca ser uma referência cívica baseada na dignidade dos trabalhadores, com estímulo à qualidade de vida no local de trabalho, e na sustentabilidade ambiental, o que inclui a separação de resíduos sólidos, autonomia energética e redução da pegada ecológica.


A 15 minutos do aeroporto internacional de Lisboa, o Taguspark está situado num imenso parque verde com vistas para o mar, em uma cidade multicultural com diversos espaços de cultura e arte. É uma espécie de laboratório das ciências do trabalho em Portugal, focado nos valores do civismo, felicidade e bem-estar.


“Nosso objetivo é fazer com que os inovadores possam ir mais longe, pois acreditamos que o conhecimento científico e tecnológico muda o mundo para a melhor”, disse Côrrea. “Estamos sempre à procura de talento e abertos a parcerias”, disse reiterando a parceria com os brasileiros. “É um motivo de satisfação aprender com o Paraná, assim como temos muito a oferecer em termos de experiência para ajudar outros locais e apostamos muito no desenvolvimento da economia de regiões de língua portuguesa”, concluiu o CEO.


Paraná Day


Mais cedo nesta segunda-feira, o governador e demais membros da delegação paranaense participaram do evento Conexão de Negócios Paraná-Lisboa / Paraná Day, onde discutiram detalhes do megapacote de concessões rodoviárias que prevê investimentos de R$ 55 bilhões em obras no Estado nos próximos anos.


A missão internacional liderada pelo governador chegou a Portugal para uma série de encontros com empresas, investidores e diplomatas para apresentar as oportunidades de negócios no Estado, em mais uma edição do Paraná Day e uma visita ao embaixador brasileiro em Portugal, Raimundo Carreiro.


O Paraná Day reuniu empresários portugueses, representantes de startups, prefeitos e lideranças políticas e foi organizado pela Conexão de Negócios Paraná-Lisboa, Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa e Invest Paraná.


O governador apresentou o megapacote de concessões rodoviárias do Paraná, que prevê investimentos de mais de R$ 50 bilhões nos próximos anos. Ratinho Junior lembrou que, na última sexta-feira (12), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou o edital do primeiro lote de concessão, cujo leilão está marcado para o dia 25 de agosto na Bolsa de Valores. O lote inclui 473 quilômetros de rodovias entre Curitiba, Região Metropolitana, Centro-Sul e Campos Gerais, com investimentos previstos de R$ 7,9 bilhões.


Além do projeto logístico, o governador destacou os potenciais do Paraná em outras áreas. Ele citou o setor do turismo, que é uma área estratégica para o Estado. “As Cataratas do Iguaçu estão entre as Sete Maravilhas da Natureza, e é apenas um entre as centenas de atrativos que temos no Paraná. Queremos ser a porta de entrada do turista europeu, do turista português, no Brasil, recebendo muito bem quem visita o nosso Estado”, disse.


Outra área de interesse é o setor de inovação. Com projetos para fortalecer o ecossistema de inovação em todo o Estado, Ratinho Junior vê Portugal como um parceiro estratégico também nesse setor. “O Paraná tem parques tecnológicas, sete universidades estaduais, uma grande empresa pública de tecnologia, a Celepar, startups consideradas unicórnios e polos regionais de inovação. Toda essa expertise pode se conectar a iniciativas europeias nos próximos anos”, afirmou.


Além disso, o Estado busca fortalecer as relações comerciais com o país e todo o continente europeu. “Temos uma relação de longa data com Portugal, que pode ser a porta de entrada para os produtos paranaenses na Europa. É um continente estratégico, que conta com uma população de mais de 746 milhões de pessoas que têm um grande poder de compra”, ressaltou o governador. “Nós temos uma boa relação comercial com o continente e podemos expandir os negócios”.


Exportações


O Paraná exportou US$ 116 milhões em produtos para Portugal em 2022. Houve um crescimento de mais 200% em relação a 2021 (US$ 37 milhões). Os principais produtos foram cereais, açúcar bruto, óleos essenciais e resinóides, produtos químicos, madeira compensada e carne de frango in natura. O Paraná é o quinto maior exportador brasileiro para Portugal (era o nono lugar em 2018) e o terceiro maior importador de produtos portugueses para o Brasil.


Segundo Jorge Callado, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), o aumento expressivo das exportações paranaenses para Portugal reflete a competitividade local. “Para o ano de 2023, as expectativas são ainda melhores, devido à produção agrícola recorde, que, por sua vez, garantirá maiores excedentes exportáveis”, afirmou.


No encontro com embaixador brasileiro em Portugal, Raimundo Carreiro, Ratinho Junior defendeu a criação de um mercado comum de inovação entre Brasil e Portugal, tendo o Paraná como porta de entrada, uma vez que a Celepar já tem um escritório de representação em Lisboa. Ele também destacou que o Estado pode participar de programas de intercâmbio com o país europeu em diversas áreas, como cultura, educação e ações de sustentabilidade.


Ratinho Junior se encontrou nesta terça-feira (16), com o ministro da Saúde de Portugal, Manuel Pizarro, e visitou em Lisboa, Agencia Nacional da Inovação, uma agência governamental que tem como objetivo apoiar a inovação científica e tecnológica em Portugal. A entidade articula as universidades portuguesas e as empresas para usar o conhecimento produzido na academia para transformá-lo em novos negócios.


Portugal tem uma das maiores concentrações de unicórnios, empresas com valor acima de um bilhão de dólares do mundo. Com apenas 10 milhões de habitantes, o país possui sete unicórnios. Ao menos quatro delas tiveram apoio ou recursos públicos para chegar ao nível de maturação e crescimento exponencial.


Fonte: Mundo Lusíada

bottom of page