top of page

António Carrelhas relata como foi a expedição "200 Anos - Os Caminhos da Independência"


Foto: divulgação

António Bacelar Carrelhas relata um pouco como foi a expedição "200 Anos - Os Caminhos da Independência do Brasil"


A organização da expedição pediu ao expedicionários para colaborarem com relatos de viagem, contando um pouco de como foi percorrer os caminhos de D. Pedro. Segue a contribuição de António de Bacelar Carrelhas, um dos líderes da expedição "200 Anos - Os Caminhos da Independência do Brasil".


“A cidade que mais senti pulsar para um turismo histórico, com estrutura moderna foi Tiradentes e arredores em MG. Ouro Preto continua a ser uma referência de, ainda que se veja certo declínio em suas estruturas. Exalto a referência e entusiasmo ao novíssimo Museu Boulieu. Um aplauso ao casal Boulieu seus mecenas!


Na Basílica Velha, em Aparecida, fiquei muito sensibilizado pois meus colegas colocaram minha saúde nas intenções da missa. Agradeço profundamente.


Nós, expedicionários, representamos os voluntários da sociedade civil, e acreditamos na importância de transmitir aos jovens a história de Portugal e Brasil. De forma simples, sem qualquer apoio financeiro oficial. Um país que não conhece e louva o seu passado, não terá oportunidades no futuro. Ao percorrer os Caminhos da Independência, aprendemos que houve um conjunto de idealistas, já marcados pelo amor ao Brasil, que em 1822 lutaram para se separar da pátria-berço, Portugal, para criar uma nação independente e maior.


Os expedicionários recordam aos jovens esses momentos, para que o Brasil tenha o futuro que merece e pode alcançar.”


Saiba mais sobre a expedição


Fonte: Herois Portugueses do Brasil

Comments


bottom of page