top of page

Espanha e Portugal vencem o primeiro leilão europeu de hidrogénio: estes são os sete projetos vencedores

Fonte: divulgação

Os resultados do primeiro leilão europeu de hidrogénio renovável já são conhecidos e não poderia ter corrido melhor para os interesses espanhóis.


Três dos sete projetos selecionados são espanhóis. São eles El Alamillo H2 da Benbros Energy, Hysencia da DH2 Energy e Catalina , da holding CIP, Enagás Renovable e Fertiberia.

No total, o Banco de Hidrogénio distribuiu 720 milhões de euros, dos quais 263 milhões foram para Espanha, ou seja, 36,5% do que foi concedido.


O outro país sortudo é Portugal, com mais dois projetos e 329 milhões de euros, dos quais 245 milhões foram para apenas um, o Madoqua Power2X, que inclui também a CIP, a holandesa Power2X e a portuguesa Madoqua.


Os sete projetos selecionados foram os vencedores de um leilão com excesso de inscrições que atraiu 132 propostas no total. A grande maioria das candidaturas foram aceites e vieram de 17 países diferentes, sendo Espanha, de longe, o país que apresentou mais projetos com um total de quase 3.000 MW de capacidade de produção.


Capacidade de produção de hidrogênio

Juntos, os licitantes vencedores planeiam produzir 1,58 milhões de toneladas de hidrogénio renovável ao longo de dez anos, evitando mais de 10 milhões de toneladas de emissões de CO2 .


E farão isso graças à capacidade de produção de 1.500 MW de eletrolisadores. Dos quais 595 MW estão em Espanha.


Aos projetos em Espanha e Portugal devemos acrescentar um na Finlândia e outro na Noruega.


Todos apresentaram propostas entre 0,37 e 0,48 euros por quilograma de hidrogénio renovável produzido e cumpriram também os restantes requisitos de qualificação. O subsídio que os sete projetos vão receber varia entre os 8 e os 245 milhões de euros, para distribuir o total de 719 milhões.


A bolha verde do hidrogénio esvazia na Europa

Todos deverão começar a produzir hidrogénio renovável no prazo máximo de 5 anos a partir da assinatura do acordo de subvenção, que receberão sob a forma de um prémio fixo por um período máximo de 10 anos pela produção de hidrogénio renovável.


A Comissão planeia lançar um segundo leilão do Banco Europeu de Hidrogénio no final do ano, que se baseará nos ensinamentos retirados deste leilão-piloto e consultará também as partes interessadas antes de lançar o próximo concurso.


Leia a matéria completa clicando aqui


Fonte: El Periodigo de la Energia em30.04.2024

Комментарии


bottom of page