top of page

Brasileira Inspira ganha competição de 'startups' da Web Summit


Foto: divulgação

O prémio de empreendedorismo da Web Summit distinguiu uma startup que tem vindo a desenvolver uma plataforma de inteligência artificial que apoia escritórios de advogados a processar a informação legal


A empresa brasileira Inspira ganhou o concurso da Web Summit 2023, que premeia a melhor apresentação de negócios de nova geração. O prémio foi anunciado esta quinta-feira à tarde no palco principal do certame de tecnologias que está a decorrer no Parque das Nações, em Lisboa.


A startup brasileira tem vindo a desenvolver uma plataforma que recorre a Inteligência Artificial para tratar leis, jurisprudência e repositórios de dados dispersos a fim de ajudar advogados a prepararem os diferentes processos e procedimentos legais.


O prémio do concurso de empreendorismo da Web Summit não tem um valor pecuniário, visando apenas a divulgação dos vencedores junto da comunidade internacional.


A empresa Inspira já conta com cerca de uma centena de clientes no mercado brasileiro. Bancos e grandes empresas de advocacia figuram na lista de clientes. Durante a apresentação levada a cabo durante a final do concurso, a startup fez saber que pretende avançar para a captação de cerca de dois milhões de dólares de investimento a fim de iniciar a internacionalização noutros países da América Latina. Também prevê a expansão para a Europa – e Portugal poderá funcionar como porta de entrada, fez saber um representante da startup brasileira.


Na final do concurso, a empresa vencedora superou a romena Kinderpédia e ainda a americana Cognimate. A Kinderpédia tem vindo a desenvolver uma plataforma que liga alunos, pais e professores, bem como gestores de escolas e creches, com a publicação de atividades, documentos, e transações, com o objetivo de garantir um acompanhamento contínuo das atividades letivas.


A Cognimate é uma startup sediada nos Estados Unidos, que tem vindo a desenvolver uma luva inteligente com vários sensores, que permite realizar sessões de reabilitação em articulação com pequenos videojogos.


As três finalistas foram escolhidas a partir de um total de 105 candidatas que foram sendo eliminadas ao longo de três fases.


A vencedora foi eleita, entre as três finalistas, pelos votos de um júri de especialistas em empreendedorismo, que tinha um peso final de 75%. À escolha do júri juntou-se a votação do público, com um peso de 25%. Se a escolha se tivesse limitado apenas à votação do público, a vencedora teria sido a Kinderpédia, que concentrou a maioria dos votos por larga margem.


Fonte: Expresso.pt

bottom of page