• Federação das Câmaras

Artigo - Conheça dicas para atravessar o deserto do estresse


Aprenda a ser mais resiliente e a manter o estresse sob controle

Diante de um mundo veloz, repleto de demandas, estímulos e informações, que vem gradativamente modificando o estilo de vida das pessoas, parece que existe ameaça em praticamente todas as situações.

Uma corrida desenfreada por status, carreira, posição, para ser o(a) melhor, para dar conta de tudo, passou a ser algo natural nos tempos de hoje. O corpo perfeito, a família perfeita, tudo encaixado como se fosse um mundo de fantasia, devidamente exposto nas redes sociais, onde é possível comparar as belas vitrines enfeitadas dos outros aos bastidores da vida real, gerando uma imensa ansiedade de comparação. Quer mais ameaça do que isso?

Nesse sentido, o estresse parece mais social e emocional do que físico, quando o ego é acionado por essa avalanche de estímulos externos criando um enorme espaço para a mera existência comparada aos demais, o que leva as pessoas a lutarem com todas as suas armas para ocuparem um “bom” espaço no mundo. E para fazer isso de uma forma menos dolorosa, o piloto automático é acionado e a reação passa a ser a forma padrão de relacionamento. As pessoas reagem ao trânsito com a mão na buzina, a um e-mail com letras em negrito em caixa alta na cor vermelha, a um comentário no WhatsApp saindo do grupo, a um post com um “meme” ou até mesmo com o cancelamento que funciona como exposição e vingança. Estas são diferentes formas de reação que disfarçam um grito de socorro escondido na intolerância e arrogância de cada um destes atos.

As escolhas não são conscientes! O mecanismo de luta e fuga é acionado com a mesma velocidade com que são bombardeadas com as informações aceleradas deste mundo ansioso e as consequências desta guerra interna e externa afetam diretamente as emoções e adoecem o corpo, surgindo a pergunta que não quer calar: tem saída? Desenvolver tecnologia interior é “a única saída”!

Os cinco passos para desarmar o piloto automático e desenvolver Tecnologia Interior são: parar, silenciar, respirar, ancorar e se auto observar. Fazer pequenas pausas ao longo do dia é salutar. Fazemos esse processo aplicando uma metodologia própria juntamente com o uso de práticas integrativas e percebemos que os benefícios promovidos são inúmeros, tais como: sensação de calma, tranquilidade, paciência, melhora nos relacionamentos, foco e concentração, facilitando a conclusão de tarefas, a produtividade e ainda a melhora do sono, do apetite e da disposição por se exercitar.

Os resultados encorajam as pessoas a seguirem adiante e a aprofundarem o processo de autoconhecimento, sempre ancorado na autocompaixão, ou seja, na capacidade de olhar para si mesmo com verdade e bondade, reconhecendo suas necessidades, limites, falhas e potencialidades. E ao percorrer essa trilha a autoconsciência se amplia, permitindo o cultivo do autocuidado, a autonomia de fazer escolhas conscientes e a autorrealização. São os 6 Autos da Flow Desenvolvimento, que ressaltam a importância do uso consciente da tecnologia interior e criam novos repertórios internos capazes de acionar não mais um ciclo vicioso de estresse, mas um ciclo virtuoso de saúde e bem-estar.

Artigo assinado por Adriana Bezerra do Carmo, sócia e Diretora de Desenvolvimento Humano da CBPCE, psicóloga, especialista em saúde integral e bem-estar e fundadora do Flow Desenvolvimento Integral.